Campeão Brasileiro de 1978, o Guarani conquistou o seu segundo título nacional no dia 27 de março de 1981, quando empatou com a Anapolina-GO. Foi o jogo de volta da decisão da Taça de Prata daquela temporada. Na ida, o Guarani havia vencido por 4 a 2.

Clique aqui e confira todos os campeões nacionais

Sétimo colocado do Paulistão de 1980, o Guarani ficou de fora da primeira fase da Taça de Ouro e viu-se obrigado a disputar a Taça de Prata, que daria quatro vagas para o principal campeonato nacional de 1981.

Na fase inicial, os participantes foram divididos em 6 grupos com 8 equipes, disputado em turno único com os dois melhores avançando de fase. O time campineiro esteve no Grupo D. Após um começou onde somou três pontos em três jogos – a vitória valia apenas dois pontos na época – emendou uma sequência de quatro triunfos para fechar a fase inicial na liderança, com 11 pontos ganhos. Com 16 gols marcados, foi o segundo melhor ataque da fase atrás apenas do Americano-RJ, que marcou 17.

Classificado, o time disputou um triangular na segunda fase. O campeão do grupo iria para a Taça de Ouro, enquanto o vice seguia na Taça de Prata. Os adversários foram Palmeiras e Americano-RJ. Após estrear com derrota para os cariocas, o Guarani se recuperou e venceu o Palmeiras no duelo paulista. No returno, devolveu o resultado para o time de Campos-RJ. Na rodada decisiva, o Bugre jogava por um empate, mas foi derrotado para o Palmeiras e terminou com quatro pontos, contra cinco do alviverde da capital.

Restou ao Guarani a disputa das semifinais da Taça de Prata. O time fez valer a tradição de quem já era campeão brasileiro e passou pelo Comercial-MS com duas vitórias.

A decisão foi contra a Anapolina, que na outra semifinal derrotou o Remo-PA. No primeiro jogo, vitória por 4 a 2 fora de casa, com gols de Careca (2), Lúcio e Miranda. A decisão ocorreu no Brinco de Ouro. Marcelo, aos 21 do primeiro tempo ampliou a vantagem bugrina. O time goiano empatou apenas no final da segunda etapa, insuficiente para evitar a conquista do Guarani, que ainda teve Jorge Mendonça, com 11 gols, artilheiro da competição.

Confira a campanha do Guarani:

Primeira Fase
Guarani 1×0 Coritiba-PR
Guarani 1×1 Grêmio Maringá-PR
Juventus 2×0 Guarani
Guarani 6×0 Serrano-RJ
Cascavel 1×2 Guarani
Campo Grande-RJ 1×2 Guarani
Guarani 4×1 Botafogo-SP

Segunda Fase
Americano 1×0 Guarani
Guarani 2×1 Palmeiras
Guarani 4×1 Americano
Palmeiras 2×0 Guarani

Semifinal
Comercial-MS 1×2 Guarani
Guarani 3×0 Comercial-MS

Final
Anapolina 2×4 Guarani
Guarani 1×1 Anapolina-GO
Local: Brinco de Ouro;
Juiz: Manuel Serapião Filho (BA)
Público: 12.452
Renda: Cr$ 1.625.400,00;

Guarani: Birigüi, Miranda, Jaime, Édson, Almeida; Edmar, Ângelo, Jorge Mendonça, Lúcio, Marcelo (Paulo César) e Capitão (Frank). Técnico: Zé Duarte.

Anapolina: Nílson, Assis (Wilson Santos), Ribas, Sidnei, Nilton, Paulo Sérgio, Mário, Nei, Jorge Cruz, Osmário e Esquerdinha (Rodrigues). Técnico: Marcius Fleury.

Gols: Marcelo (GUA, 21’1ºT) e Osmário (ANA, 45’2ºT)

Deixe uma resposta