COPA PAULISTA TERÁ O MENOR NÚMERO DE PARTICIPANTES DESDE 2002

A Federação Paulista de Futebol divulgou os participantes da Copa Paulista 2021. Serão apenas 17 clubes, o menor número desde 2002, quando ainda em um processo de afirmação o torneio teve somente 16 equipes. Vale lembrar, porém, que naquele ano ainda houve uma outra competição – Copa Mauro Ramos – que reuniu mais oito clubes que ficaram de fora em um primeiro momento.

Ao menos no regulamento, a Copa Paulista resolveu não inventar muito como no ano passado, quando apenas quatro equipes foram eliminadas na primeira fase e um grupo teve todos os quatro participantes classificados. Dessa vez, serão três grupos de quatro equipes e mais um com cinco clubes, avançando apenas os dois primeiros de cada.

A partir daí, os oito classificados iniciam o mata-mata, que será definido nos pênaltis em caso de igualdade no placar agregado.

VAR light e volta do público
Outros temas discutidos na reunião entre dirigentes da FPF e clubes foi em relação ao uso de um VAR ‘light’ a partir das quartas de final, com uso de menos câmeras e operadores e para apenas algumas eventuais situações.

Já com relação a volta do público, a FPF informou aos clubes que espera que para as quartas de final seja liberado cerca de 30% da capacidade dos estádios.

Ausências
Dos 20 clubes participantes em 2020, nove estarão ausentes (Marília – vice campeão -, Água Santa, Portuguesa Santista, Ferroviária, Osasco Audax, Novorizontino, Ponte Preta, Nacional, Inter de Limeira, Guarani e Rio Preto). No caso de Ferroviária e Inter de Limeira, o foco é a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro, mesmo caso do Santo André.

A Ponte Preta disputa o Brasileiro de Aspirantes, mas optou por ficar ausente da Copa Paulista, assim como Corinthians e Red Bull Bragantino. O Santos é o único que conciliará as duas competições.

Outras ausências se deram por motivos financeiros, já que a FPF não dá cota de participação e oferece ajuda mínima aos clubes participantes.

FPF
Ainda sobre FPF e Copa Paulista, vale a pena falar da desvalorização da organizadora com o evento. Embora o fator pandemia exista, a entidade pouco faz para agregar valor ao seu torneio, que outrora já chegou a contar com 35 clubes (mais que o dobro da atual edição).

Entre os motivos que levaram a diminuição dos clubes participantes está o número de rebaixamentos que a FPF ampliou nos últimos anos. Antigamente eram 60 clubes na Primeira Divisão (A1, A2 e A3) e o número foi reduzido para 48 (16 em cada). Os clubes ‘cortados’ obviamente foram das divisões menores, que eventualmente participavam da competição.

Se há menos clubes, há menos jogos. Anteriormente as equipes eram divididas em grupos de sete ou oito participantes. Agora são apenas quatro. Ou seja, quase 50% dos clubes jogarão apenas seis vezes em um mês e encerrarão o semestre – o contrato mínimo do atleta tem que ser pelo período de três.

Outro teste da FPF será dia e horário dos jogos. Na atual edição, eles serão realizados às terças e sextas-feiras, a maioria no período da tarde. O torcedor que quiser acompanhar, poderá fazer pela internet através do PaulistãoPlay. Ainda há a promessa de que alguma rede de TV fechada possa se interessar pelo torneio nas fases finais. Ano passado, o BandSports mostrou apenas a final (em anos anteriores, houve transmissão da Fox a partir da semi e com qualidade superior). Com alguns ‘players’ (como gostam de falar) inexplorados, era possível ampliar o leque de divulgação (Campeonato Paraense na TV Cultura e Série C e D na TV aberta que o digam).

Vale ressaltar que a própria FPF define como sua missão fomentar o futebol paulista. Com o menor número de times profissionais em suas divisões desde 1975 e com a menor Copa Paulista desde 2002, é hora de rever conceitos.

IBRACHINA E MAIS… QUANTOS TIMES A CIDADE DE SÃO PAULO PODERIA TER?

Com população estimada em mais de 12 milhões de habitantes, a cidade de São Paulo é a oitava mais populosa do mundo. Ainda assim, o município está longe dos números de outras metrópoles quando o assunto é quantidade de clubes profissionais. O 1902futebol traz um levantamento inédito e mostra que a cidade poderia ter muito mais clubes e ficar mais próxima de outros centros como Buenos Aires, Montevidéu e Londres, por exemplo.

Continuar lendo “IBRACHINA E MAIS… QUANTOS TIMES A CIDADE DE SÃO PAULO PODERIA TER?”

MIRASSOL É O MELHOR DO INTERIOR PELO SEGUNDO ANO SEGUIDO E QUEBRA TABU DE 30 ANOS

Pelo segundo ano consecutivo o Mirassol foi o melhor time do interior no Paulistão. Terceiro colocado no ano passado, o Mirassol terminou em quarto em 2021 e quebrou um tabu que já durava três décadas, já que em 1989 e 1990 o Bragantino foi o último time interiorano a chegar entre os quatro melhores do campeonato em dois anos consecutivos (levantamento de Bruno Miotto).

Continuar lendo “MIRASSOL É O MELHOR DO INTERIOR PELO SEGUNDO ANO SEGUIDO E QUEBRA TABU DE 30 ANOS”

SÉRIE A3: NOROESTE LIDERA ISOLADO E TIMES QUE PARTICIPARAM DA ELITE ESTÃO NA ZONA DE REBAIXAMENTO

A sexta rodada da Série A3 do Campeonato Paulista foi disputada neste sábado (1º de Maio) e encerrou uma sequência de três jogos em cinco dias para as equipes. O Noroeste, que chegou a perder a ponta para o Marília na jornada passada, é o líder, enquanto Capivariano e Penapolense, que jogaram o Paulistão recentemente, estão na zona de rebaixamento.

Continuar lendo “SÉRIE A3: NOROESTE LIDERA ISOLADO E TIMES QUE PARTICIPARAM DA ELITE ESTÃO NA ZONA DE REBAIXAMENTO”

SÉRIE A3 – 4ª RODADA: APÓS 45 DIAS, TORNEIO VOLTA COM MUITOS GOLS

Com muitos gols, a Série A3 do Campeonato Paulista voltou após 45 dias. Ao todo, a rede balançou 25 vezes em oito jogos (média de 3,12). Os destaques da rodada foram Olímpia e Batatais. O líder Noroeste apenas empatou em casa, enquanto o Penapolense segue sem vencer e se afundou na lanterna.

O primeiro gol da retomada da Série A3 saiu no jogo entre Votuporanguense e Comercial. Os visitantes abriram dois gols de vantagem, mas o artilheiro Gabriel Barcos também fez dois e igualou o duelo.

Em um confronto direto dentro do G8, o Desportivo Brasil venceu o Marília, que ainda não havia tomado gols até então. Outro duelo que envolvia times que estavam na zona de classificação foi Primavera e Linense. O time de Indaiatuba venceu e, com isso, derrubou o adversário para a 10ª colocação.

O Noroeste tinha 100% de aproveitamento e encarou o São José. Apesar de conseguir empatar com o líder fora de caça, o São José entrou na zona de rebaixamento e segue sem vencer no campeonato no ano de sua volta.

Quem também não venceu ainda é o Penapolense. Semifinalista do Paulistão em 2014, a equipe foi derrotada em casa por 3 a 0 para o Olímpia e está na lanterna do campeonato. Já o adversário venceu a primeira na competição e saltou da 14ª para a 7ª colocação.

No jogo com mais gols da rodada, o Batatais venceu o Nacional por 4 a 2. Após três empates, foi a primeira vitória da equipe que segue invicta e agora no G8.

Confira abaixo a classificação do campeonato:

SUPERLIGA DE SÃO PAULO? RELEMBRE QUANDO O INTERIOR PAULISTA SOFREU COM O ELITISMO

A criação da Superliga europeia reunindo 12 dos principais clubes do continente agitou o mundo do futebol. Sem rebaixamento dos fundadores, convites para um grupo exclusivo e muito dinheiro para os envolvidos. A ideia elitista, porém, não é novidade no futebol e mesmo os clubes paulistas menores já sofreram com isso. Confira abaixo algumas das vezes em que criou-se uma ‘Superliga de São Paulo’.

Continuar lendo “SUPERLIGA DE SÃO PAULO? RELEMBRE QUANDO O INTERIOR PAULISTA SOFREU COM O ELITISMO”

APENAS OITO EQUIPES JÁ DERROTARAM OS QUATRO GRANDES EM UMA MESMA EDIÇÃO DO PAULISTÃO

Por Ruben Fontes Neto

Os grandes Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo são, sem dúvidas, os mais temidos times a serem enfrentados no Paulistão. Maiores vencedores do estadual, eles levam vantagem histórica sobre os demais concorrentes. Vencê-los uma vez já é motivo de comemoração. As equipes que venceram os quatro ao longo da história já consideram uma glória. Porém, apenas oito equipes do futebol paulista fizeram a quadra sobre os grandes em uma única edição do Paulistão. Confira abaixo quem são.

>>> Siga o 1902futebol no Instagram
>>> Siga o 1902futebol no Twitter

A Portuguesa Santista estreou no Paulistão em 1929, mas somente em 1935 passou, de fato, a fazer parte da elite estadual. Naquele mesmo ano, o Santos faturava seu primeiro Campeonato Paulista. No ano seguinte, então, cada um do quarteto detinha ao menos um título da elite estadual pela primeira vez. O Corinthians somava 8 conquistas, o Palmeiras 5 e o São Paulo tinha sido campeão em 1931. No entanto, isso não amedrontou a Portuguesa Santista, que se tornou o primeiro time a vencer os quatro em uma edição do Paulistão. Ao final do torneio, a equipe rubro-verde foi 3ª colocada.

Somente após 16 anos o feito voltou a acontecer. Quinta força do futebol paulista na metade do século passado, a Portuguesa conseguiu pela primeira vez derrotar os seus maiores rivais em uma mesma edição do Paulistão em 1952. Embalada, a rubro-verde ainda voltaria a repetir o feito em mais quatro ocasiões: 1960 (vice-campeã), 1964 (3ª colocada), 1975 (vice-campeã) e 1977 (3ª).

Além da Portuguesa, o Guarani também conseguiu derrotar os quatro grandes em 1964. Bem estabelecido na elite, o Bugre foi apenas o sétimo colocado naquela edição. Apesar disso, a campanha entrou para a história ao conseguir derrotar os maiores vencedores do torneio com direito a 5 a 1 sobre o Santos de Pelé, que perdeu um pênalti na partida.

Quem mais?

Com um grande time, a Ferroviária fez bela campanha em 1969 e terminou em sexto lugar. Jogando duas vezes contra cada um dos grandes, conseguiu fazer a quadra o que a deixou com chances de classificação para o quadrangular final faltando seis rodadas. O time, porém, sofreu uma queda de rendimento nos últimos jogos e não conseguiu se infiltrar na disputa pela taça.

Em 1978, o Guarani foi campeão brasileiro. Logo após o torneio, houve a disputa do Paulistão. O Bugre manteve a boa fase e fez ótima campanha no estadual, vencendo novamente os principais concorrentes pelo título. Na semifinal, entretanto, acabou derrotado pelo Santos e dando adeus ao campeonato.

Em 1980, duas equipes alvinegras entraram para o seleto grupo. A Inter de Limeira, em apenas seu segundo ano na elite, surpreendeu e terminou em sexto lugar com direito a vitórias sobre Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo. Já o Comercial foi apenas o 10º, mas também conseguiu derrotar o quarteto.

O alvinegro de Ribeirão Preto conseguiria um feito inédito em 1981, quando mais uma vez derrotou os quatro grandes. Pela primeira vez um clube conquistava a marca de forma consecutiva. Além do Comercial, o arquirrival Botafogo, o Guarani e o São José também conseguiram vencer Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo. Assim, pela primeira vez quatro equipes conseguiam fazer a ‘quadra’ em uma mesma edição. Apesar disso, o São Paulo foi o campeão.

Campeões prejudicados

A lista poderia contar com mais dois elementos que foram campeões paulistas. Em 2004, o São Caetano faturou o título após 15 jogos. Porém, como estava em grupo diferente do que o Corinthians na primeira fase, não enfrentou o alvinegro, que não se classificou para o mata-mata.

Já o Ituano, campeão de 2014, estava no mesmo grupo do Corinthians, mas o regulamento previa que eles só se enfrentariam nas quartas de final. O time alvinegro foi o terceiro da chave, atrás também do Botafogo, e ficou de fora do caminho.

Tanto São Caetano quanto Ituano venceram Palmeiras, Santos e São Paulo na campanha dos títulos estaduais.

Próximo da lista

Com o Paulistão 2021 paralisado após quatro rodadas disputadas, quem, em tese, está mais próximo é o Novorizontino, que derrotou o São Paulo. Essa, inclusive, é a única derrota do quarteto fora dos clássicos no estadual. O time aurinegro ainda enfrenta Corinthians e Santos na primeira fase e, se conseguir se classificar, poderia encarar o Palmeiras nas quartas de final.

Vale destacar, porém, que todas as outras 11 equipes ainda têm chances considerando os confrontos restantes da primeira fase e possíveis cruzamentos do mata-mata.

Grandes do Paulistão

SÉRIE A3: NOROESTE VENCE TERCEIRA SEGUIDA E MARÍLIA SEGUE SEM SOFRER GOLS

O Noroeste segue 100% na Série A3 do Campeonato Paulista. No fim de semana, a equipe de Bauru derrotou o Comercial em Ribeirão Preto. A rodada também teve as primeiras vitórias de Votuporanguense e Bandeirante.

Líder absoluto da primeira fase em 2020, o Noroeste parece querer repetir o feito em 2021. O time venceu o terceiro jogo seguido e segue com 100% de aproveitamento. Na cola, está o rival Marília, que é o único time do campeonato que ainda não sofreu gols.

A terceira rodada da competição também teve vitórias de Votuporanguense e Bandeirante. Rebaixado em 2020, o time de Votuporanga fez a viagem mais longa da primeira fase – 577km para São José dos Campos – e voltou para a casa com os três pontos. Já o Bandeirante somou seus primeiros pontos ao vencer em casa e saltou da 16ª para a 10ª colocação.

Confira abaixo os números do campeonato:

Jogos: 24
Vitória de Mandantes: 8
Vitória de Visitantes: 7
Empates: 9
Resultado mais frequente: 0x0 (5)
Maior goleada: Noroeste 3×0 Barretos (2ªR)

Gols: 53 (média 2,21)
Gols de mandantes: 29
Gols de visitantes: 24
Gols no 1º tempo: 19
Gols no 2º tempo: 34
Gols de pênaltis: 5
Gols de falta: 1

Melhor ataque: Nacional (8 gols marcados)
Piores ataque: Votuporanguense, Batatais e Capivariano (1 gols marcados)
Melhor defesa: Marília (0 gols sofridos)
Piores defesa: Nacional, Barretos e Capivariano (6 gols sofridos)

Artilheiros
3 gols: Éder Paulista (Nacional)
2 gols: César (Nacional), Madalena (Desportivo Brasil) e Thiago Humberto (Linense)

Confira os resultados e a classificação da 3ª rodada

SÉRIE A3 COMEÇA COM REMANESCENTES EM DESTAQUE

A Série A3 do Campeonato Paulista se iniciou neste fim de semana. Seis times venceram na primeira rodada e saíram na frente pela disputa das oito vagas no mata-mata. Curiosamente, todas elas são remanescentes do torneio da temporada passada.

Rebaixados na Série A2 de 2020, Votuporanguense e Penapolense estrearam com derrotas para Rio Preto e Barretos, respectivamente. Já São José e Bandeirante, recém-promovidos da Segunda Divisão, também não conseguiram vencer.

O melhor ataque da rodada inicial foi o Nacional, que marcou três vezes contra o Olímpia. Outras seis equipes saíram de campo sem sofrer gols. Confira os números da primeira rodada:

Jogos: 8
Vitória de Mandantes: 3
Vitória de Visitantes: 3
Empates: 2
Resultado mais frequente: 2×0 (2)

Gols: 19 (média 2,38)
Gols de mandantes: 10
Gols de visitantes: 9
Gols no 1º tempo: 7
Gols no 2º tempo: 12

Melhor ataque: Nacional (3 gols marcados)
Melhor defesa: Barretos, Comercial, Marília, Rio Preto, Batatais e Desportivo Brasil (0 gols sofridos)

Confira os resultados e a classificação: